Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Betim - MG e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Prefeitura Municipal de Betim - MG
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Rede Social Linkedin
Rede Social Youtube
Rede Social WhatsApp
Rede Social Twitter
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
FEV
13
13 FEV 2023
SAÚDE
Betim alerta para o risco de acidentes por animais peçonhentos durante o verão
enviar para um amigo
receba notícias
Durante o verão, quando o clima é mais quente e chuvoso, aumenta o risco de acidentes por animais peçonhentos, que se abrigam tanto em áreas urbanas quanto rurais, e podem  ser encontrados nas proximidades de casas, jardins e parques. Segundo a Vigilância Epidemiológica de Betim, esse tipo de acidente é a segunda causa de envenenamento humano no Brasil, ficando atrás apenas da intoxicação por uso de medicamentos. As ocorrências mais registradas são com animais como cobras, escorpiões, aranhas, lagartas, abelhas e lacraias.

No ano de 2022, foram registrados, em Betim, 140 acidentes por animais peçonhentos - a maioria, 88, por escorpiões. Em 2021, foram 152 registros, sendo 53  provocados por escorpiões e 30  por lagartas. 

 
Frequência de acidentes por animais peçonhentos segundo o tipo de acidente, em Betim  2020-2022.
 
Tipo de Acidente 2020 2021 2022
Ign/Branco 19 10 8
Serpente 8 6 3
Aranha 47 27 11
Escorpião 90 53 83
Lagarta 40 30 21
Abelha 24 22 12
Outros 9 4 2
Total 237 152 140
Fonte: SINANNET/DVS/SVE/SMS-Betim. Dados atualizados até 07/02/2023 e sujeitos a alterações

O Centro de Controle de Zoonoses e Endemias (CCZE) de Betim possui uma equipe que atua no controle de animais sinantrópicos, ou seja, os animais silvestres que conseguem se adaptar e viver junto com o homem, como abelhas, escorpiões e ratos. Os profissionais vão até o local sinalizado para fazer a busca e captura e aplicar o melhor método de eliminação, de acordo com a espécie encontrada. O CCZE pode ser acionado pelos cidadãos por mensagem via whatsapp para o número 99928-2277. Em caso de serpentes e abelhas, a população também pode acionar o Corpo de Bombeiros, pelo 193, ou a Polícia Militar Ambiental, pelo 3532-1748. Os moradores também serão orientados sobre como proceder para evitar acidentes. 

Em caso de acidente, a vítima deve ser encaminhada imediatamente para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima. Após avaliação médica, se for necessário, o paciente será encaminhado para o Hospital Público Regional de Betim que, desde 2019, realiza o tratamento dos pacientes com o soro antiveneno. 

O que fazer em caso de ocorrência com animal peçonhento:
  • Procure atendimento médico imediatamente na unidade de saúde mais próxima;
  • mantenha o acidentado em repouso, deitado e com o membro acometido elevado em relação ao resto do corpo, enquanto aguarda por socorro. A vítima deve evitar correr ou se locomover por meios próprios;
  • caso seja possível, e não atrase a ida do acidentado à Unidade de Saúde, lave o local do acidente com água e sabão, apenas;
  • não tente sugar o local com a boca para extrair o veneno ou amarrar o membro acidentado, nem aplique algum tipo de substância, como álcool, pó de café, ervas, terra, querosene ou urina no local da ferida. Tais procedimentos não têm efeito sobre o veneno e só aumentam o risco de infecções;
  •  fique atento para a cor e o tamanho do animal causador do acidente, pois suas características podem auxiliar no diagnóstico e no tratamento do agravo.
Como prevenir acidentes com esses animais:
  • Não colocar as mãos em tocas ou buracos na terra, ocos de árvores, cupinzeiros ou entre espaços situados em montes de lenha ou de pedras. Caso seja necessário, use um pedaço de madeira, enxada ou foice;
  • usar camisas de mangas longas, calças, sapato fechado e luvas quando for colher frutas, realizar jardinagem  ou andar por áreas de matagal;
  • observar troncos, galhos e  folhas de  árvores, antes de tocá-los; 
  •  examinar calçados, roupas pessoais, de cama e banho, pano de chão e tapetes antes de usá-los;
  • afastar camas das paredes e evitar pendurar roupas fora de armários;
  • não acumular entulhos e materiais de construção;
  • limpar regularmente móveis, cortinas, quadros e  cantos de parede;
  • vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés;
  • utilizar telas, vedantes ou sacos de areia em portas, janelas e ralos;
  • manter limpos os locais próximos de  casas, jardins, quintais, paióis e celeiros;
  • evitar plantas tipo trepadeiras e bananeiras próximas  às casas e manter a grama sempre cortada;
  • limpar terrenos baldios, pelo menos na faixa de um a dois metros de  muros ou cercas; 
  • se encontrar  um animal peçonhento, afaste-se com cuidado e evite assustá-lo ou tocá-lo, mesmo que pareça morto, e procure a autoridade de saúde local para orientações.

 
Seta
Versão do Sistema: 3.4.0 - 05/02/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia