YouTube Facebook Twitter
Webmail PMB
Contracheque
Cadastro Habitação
Licitações
2° Via IPTU
Giss Online
ISSQN
ISSQN Autônomo
Certidões de Débito
Portal do Contribuinte
Ouvidoria
Mapa Online
Consulta Protocolo
Cadastro de Estagiário
Prefeitura de Betim . Superintendências . Defesa Civil . Ações
Defesa Civil | Ações | Atribuições | Como acionar a Defesa Civil | Histórico | Explosivos | Em tempos de Chuva | Prevenção a Incêndios | Prevenção a queimadas | Prevenção no Trânsito |
Fase Preventiva

É aquela que se desenvolve, em princípio, durante todo o período de normalidade, ocasião em que a administração pública deve planejar e executar obras de prevenção, tanto quanto possível definitivas. Entre elas, destacam-se:

Análise das prováveis causas dos fenômenos previsíveis e época de suas ocorrências .

Planejamento e execução de obras de proteção tais como; barragem de regularização: diques de proteção, controle de erosão, e controle de encosta;

Divulgação à população de programas educativos;

Montagem de sistemas de alarme;

Organização de abrigos;

Indicação dos riscos de incêndios e desabamentos;

Detecção de pontos vulneráveis ou críticos, alertando as autoridades responsáveis para início de providências adequadas;

Proibição de construir em zonas impróprias ou consideradas perigosas;

Inclusão no orçamento de verbas específicas para programas de atendimento às calamidades.

Fase do Socorro

É necessário pelo desencadeamento dos fenômenos naturais e de origem humana, em muitas oportunidades já previstas e esperadas.

As conseqüências desse desencadeamento irão determinar a necessidade ou não de reconhecimento da "Situação de Emergência" ou da decretação de "Estado de Calamidade Pública" pelo Prefeito.

"Situação de Emergência" é a configuração de indícios que revela a eminência de fatores anormais adversos que possam vir a provocar a calamidade pública.

"Calamidade Pública" é a situação anormal provocada por fatores adversos que privam a população do atendimento de suas necessidades básicas e afetam as atividades comunitárias, a preservação de vidas humanas e a segurança de bens materiais.

O que define a "Calamidade" é a extensão e o volume de danos provocados por uma ocorrência, sempre em relação a determinado espaço territorial.

As principais medidas a serem adotadas nessas circunstâncias, serão:

Evacuar pessoas e bens dos locais dos sinistros;


Controlar ou interditar o trânsito;


Providenciar abrigo, alimentação e medicamentos para as vítimas do evento calamitoso;


Adotar medidas de segurança na área atingida, para se evitar saques ou outros ilícitos penais;


Elaborar estudos de situação da necessidade ou não de reconhecimento da "Situação de Emergência" ou de "Estado de Calamidade".

Fase Assistencial

As medidas de assistência devem ser estudadas e planejadas antecipadamente, para que não ocorram precipitações, desencontros , superposição de providências, atrasos e desperdícios no seu desencadeamento. Essa fase se desenvolve, quase sempre, simultaneamente com a fase de socorro. São desenvolvidas entre outras , as seguintes ações:

Cadastramento das pessoas atingidas para indicação de medidas logísticas adequadas;

Levantamento estatístico e triagem das vítimas e de possíveis "aproveitadores";

Assistência médica;

Assistência psico-social;

Fornecimento de roupas, agasalhos, alimentação e medicamentos;

Transportes de feridos e doentes;

Vacinação , descontaminação de áreas.


Fase Recuperativa

É a fase em que todos os esforços são canalizados para que os danos provocados pelo fato calamitoso sejam reparados , superados e que a situação volte à normalidade.

A fase recuperativa muitas vezes se confunde com a preventiva, de vez que as providências a serem tomadas, para a volta da área atingida pela calamidade à sua plena normalidade, impliquem em prevenção ou limitação de novos danos, em ocorrências semelhantes no futuro.

Entre as medidas recuperativas destacam-se:

Restauração da normalidade do trânsito nas rodovias e ferrovias;

Restauração dos serviços públicos essenciais (luz, telefone, água);

Apoio aos desabrigados carentes para reconstrução de suas moradias destruídas ou danificadas;

Assistência técnica pelas entidades governamentais.


Exemplo de Ações Calamitosas

Ocorrências Calamitosas para as quais a Defesa Civil deve ser acionada:

Trombas d'água, vendavais, deslizamentos, soterramentos.

Inundações, enchentes, arrombamentos de barragens
.


Secas, exaurimento de mananciais de abastecimento.


Poluição de rios, de ar, de solo, alimentos agrícolas.


Incêndios residenciais, fábricas, matas, vilas.

Pragas vegetais, animais.

Explosão de tanques de combustível, caminhões, fábricas, depósitos de inflamáveis.


Escapamento de gases letais, produtos tóxicos.


Acidentes de grande vulto caseiros, viários.


Ações da Defesa Civil

Recuperação e fechamento dos bota-fora, sendo que a maioria são áreas ambientais.

Desocupações das áreas invadidas (Patrimônio Público) ultrapassaram de mais de 530 famílias retiradas, sendo que a maioria eram de outros Estados (Ex: Teixeira de Freitas (BA) Ouro Preto (RD), São Paulo (RE), Porto Alegre, Santa Catarina, etc.

Retirada de famílias que estavam em invasões em Patrimônio Particular considerado área de risco e levados p/ abrigos e residências de familiares.


Recolhimentos de mendigos e andarilhos, que foram encaminhados p/ o Albergue p/ ser feito um triagem dos mesmos, sendo que outros foram encaminhados pela Defesa Civil para as Cidades e Bairros de origem como: Itaúna, Divinópolis, (BH) - Venda Nova , Ribeirão das Neves e outros da região Metropolitana.


Cobertura (suporte à SEDEC nas fiscalizações realizadas dentro do município).


Cobertura nas maiorias dos eventos realizados pela Prefeitura dentro do município como: Betim Rural, Feira da Paz, Festa do Servidor, Praça Milton Campos.

Cobertura dos eventos no Ginásio Poliesportivo (Rebanhão do Senhor, Festas Regulamentares da SSVP, etc.).


Cobertura em toda a Várzea das Flores na operação Carnaval juntamente com o 2º BBM de Contagem na área de salvamento e resgate de vítimas em afogamentos que consideramos um sucesso, segundo as estatísticas no ano onde tivemos 16 afogamentos, enquanto 2001, 2002 2003 tivemos 1 afogamento em cada ano.


Suporte ao 2º BBM nas operações Veranico na Varzea das flores que inicia-se no mês de Outubro.

Fiscalizações e acompanhamento de detonações de explosivos nas pedreiras da Cidade de Betim.


Escolta de explosivos que adentram no Município de Betim.


Fiscalizações de transportes de cargas perigosas. Ex.: Bobinas, sacarias de carvão , líquidos combustíveis inflamáveis e outros.


Fiscalizações em todos ferros-velhos existentes no município, observando todos parâmetros de segurança, sendo que alguns já foram interditados pela Defesa Civil Municipal .


Fiscalização em todas as casas de shows, boate, igrejas evangélicas e católicas, restaurantes , hospitais, enfim, onde existem grande aglomeração de pessoas, observando sempre os parâmetros de segurança citando como exemplo: saída de emergência, projeto de meios contra incêndios e atestado do Corpo de Bombeiros, o trabalho está sendo realizado juntamente com 2º BBM de Contagem.


Mapeamento de todas as áreas de risco de Betim.


Campanhas e arrecadações de alimentos, agasalhos, calçados, remédios e móveis em geral p/ as pessoas que ficam em estado de necessidades causados por incêndio, enchentes , desabamento de residência, soterramento e outros.



     
Resolução recomendada: 1024x768
Última Atualização: Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014 às 10:48:02


PREFEITURA DE BETIM
Rua Pará de Minas, 640 • Brasiléia • Betim-MG • CEP. 32.600-412 • Tel.: (31) 3512-3444 • 3512-3000

 
português